Grão-Mestre Li Wing Kay

Desde criança, o Grão Mestre Li Wing Kay apresentava um grande apreço pelas Artes Marciais Chinesas. Com incentivo de seu tio To, aluno da tradicional academia Chin Woo, Li Wing Kay começou a praticar Kung Fu aos sete anos de idade e se graduou na Associação Lau Fat Moun, representante do estilo Garra de Águia (8ª geração). Ainda na China, o Grão Mestre Li graduou-se em Técnicas Desportivas, especializando-se em Artes Marciais. Também aprofundou seus conhecimentos em diversos estilos marciais, como Louva-a-Deus, Tai Chi Chuan, Wing Chun, Shuai Jiao, Hung Gar, Wu Shu, Judô, Karatê, Tae Kwon Do, Tang Soo Do e Muay Thai. Ainda em Hong Kong, de 1967 a 1969, ministrou aulas na Associação Militar, na ACM (YMCA) e no Clube Universitário.

 

 

(Foto: Paulo Shiba Lee)

Garra de Águia, Louva-a-Deus, Wing Chun, Tai Chi Chuan e Shuai Jiao

Depois de uma breve passagem pelos Estados Unidos, desembarcou no Brasil em 1970 e decidiu fazer desta nação seu novo lar. Para aprender o idioma, se matriculou na Escola Panamericana de Arte de São Paulo, onde se graduou em Publicidade (1974). No mesmo período, foi autorizado pela Associação Lau Fat Moun, a ser representante do Estilo Garra de Águia na América do Sul, tornando-se um dos pioneiros na inserção do kung fu no país e no continente. O Grão Mestre Li também foi o primeiro a ensinar os estilos Hung Gar, Wing Chun e Louva-a-Deus no Brasil. Em 1992, tornou-se representante oficial de Shuai Jiao Chinês no Brasil (linhagem do Grão Mestre Liu Fei e Chang Don Sheng).

Entre o início da década de 1970 e final de 1990, ministrou cursos de Defesa Pessoal (Kung Fu) para diversos batalhões da polícia militar do Estado de São Paulo, além de ter sido convidado para dar aulas para o Grupo de Operações Especiais da Polícia Argentina e para os oficiais do Clube da Polícia da Hungria. Recebeu inclusive o título de Oficial de Polícia Honorário do batalhão de Virgínia, nos Estados Unidos. Na mesma época, teve participação decisiva na fundação das Confederações de Kung Fu do Brasil, da Argentina, da China e dos Estados Unidos, além das federações dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Goiás, Pará, Ceará, Bahia e Amazonas. Do início dos anos 2000 até o presente, vem realizando um trabalho exemplar para o desenvolvimento das artes marciais chinesas em toda a América Latina, promovendo e organizando competições de alto nível, além de atuar incisivamente na formação e qualificação técnica de professores, sifus e mestres. Isso tudo amparado por constantes atualizações técnicas com os principais profissionais e entidades de artes marciais do mundo. Em 2011, recebeu da The World Kuo Shu Federation (TWKSF) a graduação de 10º Tuan em Kuo Shu, graduação máxima e única do kung fu na América Latina.

Professor, pesquisador, escritor e terapeuta

O Grão Mestre Li Wing Kay também se destaca pela promoção do folclore chinês. Em 2005, trouxe para o Brasil o primeiro curso de Dança do Dragão ministrado por monges chineses do templo shaolin, constituindo logo em seguida a equipe Dragão Chinês Li Wing Kay, que participa regularmente de eventos, tanto no contexto desportivo como em cerimônias públicas e privadas, como inaugurações, feiras, entregas de prêmios, espetáculos, intervenções culturais, entre outros. Um dos trabalhos mais reconhecidos da equipe diz respeito às festividades do Ano Chinês, realizado tradicionalmente no bairro da Liberdade em São Paulo.

Ainda no campo da cultura, Li Wing Kay tornou-se grande estudioso de caligrafia chinesa. Inclusive, de 2003 a 2013, foi um dos selecionados no Brasil para participar da exposição e edição especial do livro “International Calligraphy Art and Culture Exhibition”, com passagem em mais de 12 países. Seu trabalho lhe rendeu o convite para ser vice-presidente da Associação de Arte e Caligrafia Chinesa do Brasil.

As pesquisas e estudos de Li Wing Kay também passam pelo campo da medicina tradicional chinesa, tornando-se um profundo conhecedor das técnicas de massagem chinesa, acupuntura, cone chinês, ventosa de bambu, qi gong (chi kung) e fitoterapia. Em 1997, recebeu o título de “Honoris Causa” da Ordem dos Terapeutas Holísticos do Brasil, em Salvador (BA). Trouxe para o Brasil em 2005 o primeiro Curso de Medicina Oriental Chinesa, “Ventosa de Bambu”. Realizou em 2012 o curso de Tchi Kung Terapêutico em Salvador (Bahia). Atualmente é Conselheiro da Associação de Ervas Naturais.

Li Wing Kay já publicou cinco livros: Shaolin Kung Fu Garra de Águia (1983); Kung Fu Wu Shu - Regras de Combate Livre (1989); Regras Internacionais de Kuo Shu e Kati Tchon I Chen – (2000); Shuai Chiao – História e Teoria (2007), atuando como consultor nesta obra; e A Arte da Vida – The Art of Life (2011).

Entre as principais condecorações e prêmios recebidos, pode-se destacar: a Medalha Anchieta e o Diploma de Gratidão da Cidade de São Paulo (2003), honraria concedida a personalidades que tenham conquistado a admiração e o respeito do povo paulistano; o diploma comemorativo do Bicentenário da Imigração China-Brasil da Academia Brasileira de Arte, Cultura e História e da Câmara de Comércio de Desenvolvimento Internacional Brasil-China (2013); e vencedor do Prêmio The Brillance of China (2015), conhecido como “Prêmio Nobel Chinês”, que elege a figura que mais promoveu e dissipou a cultura chinesa ao redor do mundo, escolhido por um juri composto pelas mais altas autoridades da china.

O Grão Mestre Li Wing Kay é casado com a brasileira Aparecida Iochiko Chiba Li, filha de japoneses, com quem tem três filhos – Paulo, Winne e Linna. Também possui um neto, Ighor, filho de Winne.

 

left show tsN fwR uppercase|left tsN fwR|left show fwR|bnull||image-wrap|news tsN tsY b01 fwB bsd|fsN b01 fwB bsd uppercase c10|normalcase b01 fwB bsd|news login normalcase fwR b01 bsd|tsN b01 fwB bsd uppercase c10|b01 normalcase fwB bsd|content-inner bsd b04 c05|left tsN fwR|news fl login normalcase fwR b01 bsd